BARREIRAS?

Atualizado: Fev 27

Quando pensamos no compartilhar as Boas Novas de Jesus Cristo nos países do Norte da África logo pode vir à nossa mente: barreiras, desafios, portas fechadas, igreja perseguida.


Isto é fato mas quero junto com você pensarmos em caminhos e oportunidades que nos ajudarão a ultrapassar as barreiras e desafios atuais e irmos além. Isto pode lever tempo, mas aprendemos que há muitas coisas que valem à pena o tempo que nos levam em descobrí-las! Hoje queremos pensar em CONEXÕES!


No campo missionário há uma rede de conexões que somente serão construídas se atuarmos de forma intencional e serão essenciais para o avanço do Evangelho nestes campos.


Conexão com o novo país e seu povo

Para desenvolver relações naturais será importante o tempo que é dedicado para aprender... aprender tudo novo. Isto incluirá os idiomas (árabe e talvez outros mais), juntamente com isto o aprendizado da cultura local será relevante, experimentando e vivendo. É um tempo para observar muito, busque desfrutar e anotar o que está aprendendo.


Conexão com pessoas de paz

Para isto será importante ter definido como você quer ser reconhecido nesta nova sociedade, lembrando que em países muçulmanos não é possível obter vistos religiosos (missionários, pastores, por exemplo). Tendo isto definido, de forma natural poderá encontrar nas relações que serão construídas as pessoas de paz, a partir do momento que forem identificadas continue a orar por elas e construindo a amizade. Portanto ter uma forma clara, como será reconhecido nesta nova sociedade, ajudará a construir relações sociais e principalmente com pessoas de paz que poderão ser um instrumento a ajudar em coisas bastante práticas em sua chegada em um país onde tudo é diferente, mas também poderá ser um amigo por anos (Prov. 17:17)


Conexão com outros obreiros

Ela é muito importante por diferentes motivos, principalmente se o obreiro que stá no campo não tem uma equipe (ou se não encontra nesta equipe o apoio que necessita). Pode ser um desafio alcançar esta conexão em um país de maioria muçulmana, isto se este obreiro não encontrar pontes seguras (relacionais) para fazer isto com outros obreiros estrangeiros e principalmente com cristãos locais. Aprender com aqueles que já estão no país é essencial para evitar repetir erros e buscar alcançar, com este apoio, alvos maiores no campo missioná


Conexão com pastores e líderes locais

Desenvolver relações naturais e conhecer cristãos locais em um contexto de um país fechado pode ser difícil, isto pode demorar bastante a acontecer. Lembremos que em quase todos estes países não há nenhuma liberdade de culto e muitos os cristãos locais não compartilham suas convicções pessoais de fé de forma pública até que tenha um nível de confiança. Mas com o tempo e esforço adequado se pode chegar a alcançar a relação com cristãos locais e juntos encontrarem oportunidades para juntos estarem servindo ao Senhor! É muito importante termos claro que nosso papel no campo missionário onde estamos chegando é estarmos unidos na Missão de Deus, que Ele já está realizando neste país. Portanto é sábio aprendermos com irmãos locais como estão trabalhando e buscar servir à eles no que necessidtam e através de diferentes formas que possamos.


Com certezar virão frutos deste trabalho em unidade, tomamos por base o ensino do Salmo 133. Mas como em todo campo missionário há interrupções que podem acontecer devido a alguns fatores (como crise econômica ou saúde por exemplo) e no Norte da África há um outro fator permanente: expulsões de obreiros! Muitos dos missionários, quando justamente ultrapassaram etapas iniciais, “são convidados” para saírem destes países.


Quando o obreiro sai do campo missionário... Cabe-nos fazer 3 perguntas:

  1. Como é continuado o trabalho que este obreiro estava realizando no campo?

  2. Como aproveitamos deste obreiro sua valorosa experiência?

  3. O tesouro, a experiência dada por Deus, é aproveitado ou vai se esvaindo pelas mãos através dos anos?

E com isso queremos concluir com a última conexão:


Conexão entre pastores e líderes de igrejas (Norte da África e Brasil)

O processo de integração do missionário quando chega em um novo campo pode ser longo, até que ele construa as conexões que serão importantes para viver a vida comum no país e também no ministério (país e seu povo, pessoas de paz, obreiros e com pastores e líderes locais). Infelizmente estas conexões, apesar de serem tão importantes e que levaram tanto tempo a serem construídas, se perdem (na maioria dos casos) quando o obreiro brasileiro retorna para o Brasil. É como se um tesouro precioso fosse se esvaindo entre os dedos das mãos pouco a pouco, com o passar do tempo. Por isso é importante estabelecer conexões entre os pastores e líderes de igrejas (Norte da África e Brasil), isto pode ser através do convite para que pastores brasileiros venham conhecer de perto estes irmãos e o trabalho que estão fazendo, mas também convidando a estes pastores e líderes do Norte da África para esterem no Brasil para que compartilhem de seu próprio ponto de vista os desafios para o avanço do Evangelho no Norte da África (países que proíbem a pregação do Evangelho). Com certeza isto apontará novos caminhos para o movimento missionário brasileiro, como também para nossa prática como igreja em um país livre.


Uma de nossas 4 áreas de atuação é justamente CONECTAR diferentes ministérios para servirmos juntos no Norte da África.

E.RIBEIRO, juntamente com sua família, são missionários desde o ano 2002 entre nossos amigos muçulmanos no Norte da África, aprendendo e servindo com a igreja que é perseguida nesta região. São fundadores do projeto Eu Oro pelo Norte da África.


31 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo
oracao2_peq.png